Vacinação contra a Covid-19 é interrompida por falta de doses, em Campina Grande

Vacinação contra a Covid-19 é interrompida por falta de doses, em Campina Grande

- em PARAÍBA
150

A vacinação contra a Covid-19 para pessoas de 61 anos foi interrompida em Campina Grande no início da tarde desta segunda-feira (12), por falta de doses. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a imunização só será retomada quando a cidade receber uma nova remessa de vacinas.

Segundo a secretaria, a cidade não está recebendo doses suficientes para a conclusão da vacinação dos grupos prioritários. Campina Grande recebeu, segundo a Secretaria, apenas 4.530 primeiras doses para o público entre 60 e 64 anos de idade, sendo que o município possui 16.792 pessoas nesta faixa etária. Todas as doses recebidas já foram aplicadas.

No total, Campina Grande recebeu até agora 82.048 doses de imunizante. “Elas são enviadas de acordo com critérios adotados pela Secretaria Estadual de Saúde. Existe uma previsão com base na população, mas o Estado não envia proporcionalmente”, disse a Saúde de Campina Grande, em nota.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) informou que a ela não cabe explicar este déficit visto, que a SES não faz a aplicação das doses, apenas recebe-as do Ministério de Saúde e repassa.

Segundo a SES, o Ministério da Saúde manda as doses de forma proporcional para cada grupo, usando como margem dados do IBGE ou da campanha de vacinação da gripe, por exemplo. Dessa forma é montada a referência populacional em cada município e enviada as doses para o estado.

Conforme a SES, cabe ao município explicar porque é que falta imunizantes, visto que a Secretaria de Estado da Saúde apenas faz a distribuição. A pasta disse, ainda, que Campina Grande não usou nem mesmo 60% das doses recebidas e seria uma das cidades com as mais baixas taxas de utilização da vacina, quando comparando o que se recebe e o que se aplica. A Prefeitura de Campina Grande, contudo rebate esses dados. E diz que o índice de aplicação registrado no sistema é de 76,2%.

A Secretária Municipal de Saúde explicou ainda que, por conta do déficit, foi feita a antecipação de doses D2 (75 a 79 anos) para doses D1 (61 a 64 anos), recomendação do Ministério da Saúde para que não houvesse descontinuidade no cronograma.

Segundo a Saúde de Campina Grande, a cidade ainda não tem nem 30% das doses necessárias para vacinar a faixa etária de 60 a 64 e se fosse seguir o envio das doses do Estado, ainda estaria no público de 65 a 69 anos.

“Foi por isso que suspendemos a vacinação de 61 anos, porque vimos que o Estado não enviaria as doses restantes desse público para compensar as segundas doses de 75 a 79 anos que foram antecipadas”, disse a Secretaria de Saúde de Campina Grande.

 

 

Da Redação com G1

Comentários com o Facebook

Você também pode gostar de:

Polícia prende em flagrante suspeito de cometer homicídio em Pocinhos

Polícia Civil da Paraíba, por meio do Grupo