Professores de Alagoa Nova denunciam volta às escolas sem alunos; eles temem o aumento de Covid19

Professores de Alagoa Nova denunciam volta às escolas sem alunos; eles temem o aumento de Covid19

- em POLÍTICA
930

Professores municipais de Alagoa Nova, no Agreste paraibano, denunciaram que estão sendo obrigados a entregar tarefas nas escolas da rede de ensino municipal, ”furando” assim o isolamento social e promovendo aglomerações. Em contato com o Blog do Fabiano Moura, os professores questionam por que não podem realizar as atividades pedagógicas a distância via plataforma digitais, conforme sugere também o MEC e o CNE.

Os profissionais temem ser contaminados e transmitir o novo coronavírus para a família no trajeto entre casa e escola. Nesta quarta-feira (20), subiu para 20 o número de casos confirmado do coronavírus no município de Alagoa Nova. São 14 casos aguardando ainda confirmação.

As aulas estão suspensas. Mas, professores foram orientados pela secretária de Educação de Alagoa Nova para irem até às escolas uma vez por semana, enviar atividades impressas e recolher as da semana anterior.

“Estamos todos preocupados, e até agora a prefeitura de Alagoa Nova ainda não encontrou uma solução para fazermos as atividades via plataformas digitais”, falou uma professora, em contato com o Blog. “Espero que o prefeito Aquino Leite busque uma alternativa”.

Portanto, até o momento a situação é bastante preocupante: eu faço parte do grupo de risco, não podemos quebrar o isolamento social, os casos de coronavírus podem aumentar mais ainda.

Em protesto, os professores prometeram acionar a justiça e questionam a atitude que vai contra as regras da OMS, além de pedir ajuda da população para denunciar o fato.

“Estamos protestando pelo fato de que poderíamos realizar as atividades que muito provavelmente nos serão requisitadas de modo remoto, em casa, como acontece com professores da rede estadual ou de outros municípios, e aos alunos que não tem acesso as plataformas, que são minoria, a gestão escolar poderia ficar a frente”, conta ao blogueiro Fabiano Moura um professor.

Segundo ele, não foi entregue nenhum quite de proteção ao Covid-19. Professores esperam por um esclarecimento ainda nesta semana.

Os docentes se organizaram para denunciar coletivamente ao Ministério Público.

“Diante da grave crise sanitária, em decorrência da pandemia de covid-19, a o retorno dos professores às atividades presenciais em escolas se mostra perigoso à saúde de tais profissionais e de toda a população, que estarão submetidos a contatos e aglomeração em local de trabalho, em especial nos bairros onde provavelmente são epicentros da contaminação, nos meios de transporte coletivo aos que residem fora do município, bem como vulnerabilizando suas famílias”, diz professores.

“Trata-se de um risco desnecessário, visto que os alunos continuarão sem frequentar a escola; e que as atividades profissionais a serem realizadas pelos professores, tais como planejamento, reuniões e aulas não presenciais, podem ocorrer sem prejuízo algum em suas respectivas residências de forma online, na modalidade home office”.

 

Da Redação

Comentários com o Facebook

Você também pode gostar de:

Cantora gospel Fabiana Anastácio morre de Covid-19

A cantora de música gospel Fabiana Anastácio morreu nesta quinta-feira,